A REGIÃO DA BAIRRADA

As castas tintas mais plantadas nas nossas vinhas são Baga, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Castelão.

As castas brancas mais plantadas nas nossas vinhas são Bical, Maria-Gomes, Arinto e Cercial.

Entre a serra do Buçaco e as praias do litoral atlântico, percorrendo um arco, de Norte para Sul, com início na povoação do Troviscal do Concelho de Oliveira do Bairro, cujo sentido inflete na direção de São Lourenço do Bairro, no Concelho de Anadia.

A Bairrada tem um clima ameno e marítimo com nevoeiros e chuvas abundantes originadas pela proximidade do Oceano Atlântico que influenciam a maturação das uvas de uma forma diferenciada em relação a todas as outras regiões vinícolas.

A norte, os terrenos das vinhas consistem numa cobertura de sedimentos formados por areias com apontamentos de argilas que originam frutos maduros de baixo grau alcoólico e boa acidez. Ao transitar para sul aparecem as margas, formadas por argila e calcário (barro/bairrada) que originam vinhos de maior teor alcoólico, equilibrados e que envelhecem com boa complexidade.

A VINHA RENOVA-SE NUM CICLO COMPLETO DE UM ANO, DE QUATRO Estações e de uma volta completa ao Sol.

No livro de registo da produção de vinho do ano de 1911 aparece anotada a produção de mil almudes (20.000L) que teve como destino a venda a granel para conceituadas tabernas e restaurantes de petiscos da região nortenha.

O legado ancestral da família Cravo no trabalho das vinhas e na produção do vinho perdurou até ao presente. A identidade da adega simboliza a repetição dos trabalhos nas vinhas ao longo das quatro estações. Este ciclo repete-se todos os anos até às vindimas, para renascer com os trabalhos da poda, preparando um novo ciclo da vida dos vinhedos.

casta Bical é a casta branca melhor representada nas nossas vinhas. As uvas originam vinhos especialmente macios, frescos, de aroma persistente e bem estruturados. Nas zonas argiloso-calcários originam vinhos com notas aromáticas de pêssego ou alperce e, quando a maturação das uvas é perfeita desenvolvem-se apontamentos minerais de fruta tropical.

casta Maria-Gomes produz uvas em abundância nos terrenos mais arenosos do litoral bairradino e tem alguma expressão nas nossas vinhas. Origina vinhos brancos com um bom teor alcoólico, baixa acidez e com um intenso aroma a frutas cítricas que alternam entre lima e limão, tangerina e laranjeira, onde também identificamos notas de ervas aromáticas.

As uvas da casta Arinto originam vinhos vibrantes e de acidez viva, refrescantes e minerais. Com um equilíbrio perfeito entre o álcool e a acidez, por um lado, e os aromas frutados e cítricos, por outro. As uvas têm forte presença nas nossas vinhas e proporcionam aos vinhos um grande potencial de envelhecimento que se traduz numa evolução interessante no primeiro ano de vida, conservando essa complexidade aromática durante três ou mais anos. É a casta preferida do enólogo para fazer vinhos que caracterizam a casa – vinhos brancos complexos e com capacidade de envelhecimento.

As uvas da casta Cercial estão presentes em algumas das nossas vinhas e utilizam-se para produzir blends com a finalidade de obter vinhos mais harmoniosos, encorpados, com uma acidez mineral acentuada e também para os potenciar com os seus delicados aromas frutados.

SUBSCREVA A NEWSLETTER

Receba no seu e-mail todas as novidades.

pt_PT